29/04/2018

Cinco dicas para usar J-fashion no dia-dia

Imagem relacionada
Olá kawaiizudinhos, tudo bem?
Resolvi fazer essa postagem porque é a dúvida universal das pessoas que admiram o J-fashion e querem adotar isso como um estilo de vida. Acreditem: é possível.

1. Escolha seu estilo

Antes de mais nada você precisa ter um foco, principalmente se você está iniciando nesse mundo. Escolha aquele estilo que mais parece com a sua personalidade e que você se sinta confortável usando. Confortável quer dizer que usar esse estilo em público não vá lhe constranger a ponto de você não querer sair mais de casa. Você é livre se quiser aderir a mais de um estilo, mas no início, isso pode ser complicado, a menos que ambos adotem elementos parecidos na composição dos outfits. Por exemplo: você quer usar Visual kei e também quer usar Fairy kei. É claro que você pode, mas são estilos muito opostos, onde seria bastante difícil aproveitar a mesma peça na composição dos dois. Já Fairy kei e Decora "conversam" entre sim, e seria bem mais fácil, até mesmo pelo custo-benefício. Eu penso que é melhor investir em peças de um primeiro, e quando tiver pelo menos peças coringa e essenciais, começar a adquirir peças para o outro. 

2. Não se prenda exclusivamente a brands e outfits japoneses

Mas como assim? Não é J-fashion? Então logicamente é moda japonesa, certo?

Certo e errado.
Nós usamos o termo J-fashion em uma escala geral, para definir estilos que surgiram no Japão e que se tornaram populares por lá. Mas especificamente o seu estilo terá um nome, sendo ele Lolita, Gyaru, Aomoji... Nós não dizemos: Usamos Lolita japonesa. Dizemos: Usamos LOLITA. Não dizer de onde ele é não significa que vai mudar a nacionalidade do estilo. Em um exemplo bem bobo, vemos o caso do Pastel Goth, que dizem ter sido criado dentro do tumblr. Você já viu alguém dizer "Uso Pastel Goth Tumblr"? Eu acredito fielmente que não.
Explicando esse conceito, vamos ao título do item 2. Não se limite a peças de brand achando que apenas isso compõe a moda japonesa (termo geral). As peças japonesas são mais fáceis de encontrar porque eles tem uma demanda muito maior que a nossa. Eles tem público. Compradores. Por isso produzem peças exclusivas para esse fim. Viver de brand não fará de você o expert no J-fashion só fará de você um pobre e há muitas opções no mercado nacional que podem ser aproveitadas com criatividade. Moda japonesa é isso: criatividade. Você não precisa copiar os looks deles, precisa adaptar esse estilo pra você.
"Ain mas na minha cidade eu não acho nada".
Alguns sites de importação como o Aliexpress e o Wish são opções baratas de roupas que podem ser facilmente utilizadas no dia-dia. Você pode fuçar em lojas de departamento, essas que tem em todo lado, como a Renner, a Marisa e blablabla... Também existe uma caralhada de lojinhas brasileiras que trabalham com produtos voltados para essa área, e alguns que produzem suas próprias roupas, sapatos e até bolsas. Grupos de venda no facebook também podem te ajudar a conseguir peças em conta. Até brechó tá valendo.

3. Tenha peças chave

Você precisa de pelo menos uma peça que seja capaz de ornar com a maioria dos outfits. Pode ser uma saia, uma blusa, um cardigã... Não importa. Essa peça deve ser o carro chefe, aquilo que você bate o olho e já identifica como sendo característico do estilo escolhido. Uma pequena dica é que você não comece pelo sapato. Bom, pensemos da seguinte forma: você consegue montar vários looks diferentes com a mesma saia, mas talvez não consiga montar vários looks com o mesmo sapato. Não se você for inexperiente e não possuir diversidade no armário, o que é o caso. Os sapatos são o que eu deixo para o último investimento, pois posso escolher com calma e orná-los com algum acessório ou detalhes do meu outfit.

4. Tenha autoconfiança

Não se importe tanto com o que vão dizer sobre você. O seu estilo diz muito sobre sua personalidade, mas não é porque você se veste de forma fofa que precisa ser fofa o tempo todo, até com quem te critique. Se possível, lembre às pessoas que são apenas roupas. Coloque-se em primeiro lugar. Pergunte-se se isso te faz bem. Se fizer, então continue e deixe os comentários maldosos de lado. Comentários ácidos dizem mais sobre a pessoa que o faz do que sobre de quem ela fala.


5. Pesquise, pesquise, pesquise

Entre em redes sociais como o Pinterest, Tumblr ou o Weheartit. Salve fotos dos outfits que você gostar e procure encontrar elementos semelhantes entre eles, e também aquilo que você mais gostou. Com base nisso e tendo pesquisado os conceitos do seu estilo, comece a procurar por peças parecidas. Seja criativo! Avalie possibilidades de Diy, handmade ou encomendar em uma costureira alguma coisa que você queira muito e não encontra de forma alguma no Brasil. Tenha um olhar mais detalhista sobre os itens em cada loja. Ainda que entre só com a intenção de dar a famosa "olhadinha", vá pensando no que você quer adquirir para seu estilo.

Bom, eu vou ficando por aqui e espero ter ajudado um pouco com essas dicas. Digam nos comentários o que querem ver pelo blog. Obrigada por lerem.
Kissu da Shima-chan ♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário